Viagens

Onde somos todos mayas, somos todos astecas!!

México, onde somos todos mayas, somos todos astecas by Juliana Veiga

Quando falamos no México, qual a primeira coisa que vem à mente? O goleiro Ochoa, que fez defesas sensacionais na Copa? Ok, então, qual a segunda coisa? Cancun com sua paisagem paradisíaca?

Bem, o berço das civilizações asteca e maya não se resume a belas praias. Há várias coisas interessantes no México. Pirâmides e templos antigos, grandes megalópoles e resorts tropicais.

MEXICO, lemondelittah, juh veiga, talita alves blogger05

Podemos começar a jornada na capital, Cidade do México. Com mais de 20 milhões de habitantes foi construída sobre as ruínas de Tenochtitlan, a antiga capital Asteca (1325). Indícios de civilizações antigas estão presentes por toda a cidade, e podem ser apreciadas nas escavações do Templo Mayor e no Museu Antropológico de Chapultepec.

Um dos pontos turísticos obrigatórios são as pirâmides de Teotihuacan e Chichen Itza. A primeira fica 50km ao norte da Cidade do México. Lá é possível observar pinturas místicas de deuses, seres noturnos e outros. Já Chichen Itza fica entre Cancun e Merida, lar das tribos Mayas.

MEXICO, lemondelittah, juh veiga, talita alves blogger

Também podemos aproveitar resorts como Cancun, Puerto Vallarta ou Acapulco. Cancun é um dos pontos turísticos mais populares do México. Foi construída a partir de uma vila de pescadores. É famosa por suas belas praias.

Acapulco se tornou notória pela vida noturna, belas praias, inúmeros esportes aquáticos, hotéis e restaurantes, além da maravilhosa Baía de Acapulco. A melhor época para conhece-las é entre outubro e maio, temporada de verão por lá.

Tem outros lugares fantásticos para se conhecer. Como Toluca, a cidade mais alta do país. Com 2.600 metros de altitude, é a capital do Estado de México. Nela podemos visitar o Jardim Botânico, um encantador lugar de plantas e flores no que foi o antigo mercado, o Templo do Carmen, da Santa Veracruz, e o Centro Cultural Mexiquens além do Museu de Culturas Populares, o Museu de Antropologia e História e o Museu de Arte Moderna.

MEXICO, lemondelittah, juh veiga, talita alves blogger04

Já nos bosques de Oyameles, vemos a belíssima da migração anual da borboleta monarca, dentro de circuitos, acompanhados pelos guardas rurais, encarregados pelo “Santuário da Mariposa”.

A 80 quilômetros da Cidade do México, levanta-se Tepoztlán (Lugar do Cobre), num verde vale rodeado de incríveis formações de montanhas. Foi lá que apareceu Quetzacóatl, o místico deus dos Aztecas. Provavelmente por isto, Tepoztlán tenha se tornado um lugar de encontro de intelectuais, artistas e boêmios. É indispensável visitar o Ex-Convento Dominicano da Natividad, o Museu Arqueológico Carlos Pellicer, com interessantes peças pre-colombianas e a Pirâmide de Tepozteco, no alto de uma pequena montanha.

Mais para o sul, em direção a Acapulco, encontra-se Cuernavaca, a cidade da eterna primavera. Um povoado onde o lazer e os passeios, visitando os monumentos coloniais, é a melhor atividade. Distinguem-se o Palácio de Cortés e o Museu de Cuauhnáhuac, com murais orientais, o Museu Robert Brady, com mostras de artistas contemporâneos, o Museu Herbolário, na antiga casa construída pelo Imperador Maximiliano, chamada também “La Casa do Olvido”, o Palácio Municipal, e o Salto de São Antón, uma cascata de 40 metros de queda livre.

MEXICO, lemondelittah, juh veiga, talita alves blogger03

Continuando pela estrada principal, encontra-se Taxco, a Capital da Prata. A pequena cidade estende-se pelas ladeiras das montanhas e minas. Aqui moram alguns dos melhores oríveres do mundo. A Igreja de Santa Prisca, com impressionantes torres e uma inesquecível fachada, a Casa Humboldt que acolhe o Museu de Arte Virreinal, o Museu da Platería, que acolhe os melhores trabalhos em prata, suas numerosas lojas de ourivesaria, as ruas empedradas e o pitoresco ambiente fazem valer a pena sua visita.

O Estado de Puebla é uma região de vulcões, vales, povoados típicos e, provavelmente, o lugar com alguns dos trabalhos mais importantes de arte colonial no México.  Seguindo em direção à Veracruz, chegamos à “Cidade dos Azulejos”.

MEXICO, lemondelittah, juh veiga, talita alves blogger02

Entre os seus atrativos destaca-se a Capela do Rosário, recoberta de ouro, a Catedral, a Biblioteca Palafoxiana no Antigo Palácio do Arzobispado, o Museu Amparo com sua extraordinária coleção de arte pré hispanica e colonial, a Casa dos Artesãos no Ex-Convento de Santa Rosa, o Museu Bello e González com preciosa fachada, o Museu Regional do Estado na antiga Casa de Alfeíque e o Teatro Principal, considerado como o mais antigo de América, para citar algumas construções emblemáticas.

Estando lá, não podemos deixar de visitar, os conventos levantados ao pé do vulcão Popocatépetl, com suas preciosas fontes de pedra e o African Safari, um zoológico com animais em liberdade.

Isto não é tudo que o México abriga de atrativos. Cada um de seus Estados abriga belezas naturais, sítios arqueológicos e construções históricas, além de muita cultura para brindar seus visitantes.

Informações úteis para quem vai viajar: O visto de turismo para brasileiros, que havia sido dispensado, voltou a ser exigido. Os vistos emitidos podem ser de validade por até dez anos para visitantes frequentes ou, no mínimo, a duração da estadia. Os vistos mais curtos perdem a validade se o solicitante não entrar no México em 45 dias após a expedição. A embaixada no Brasil exige que o solicitante vá pessoalmente fazer o pedido.

Transporte: Como alguns táxis não têm taxímetros, convém fixar previamente o valor da corrida. Se o táxi tiver taxímetro, deve verificar-se se foi posto a funcionar. Há vários tipos de táxis: os “turísticos”, que se encontram à porta de muitos hotéis (mais caros), os automóveis de marca japonesa (com tarifas semelhantes às nossas), e os carochas, verdes e amarelos consoante sejam ou não ecológicos (são baratos, mas por vezes é dificíl distinguir os legais dos ilegais, uma espécie de táxis que convém absolutamente evitar). Finalmente, no aeroporto e nas principais estações de autocarros há os chamados “táxis oficiais”, em que o valor da corrida está previamente definido em função da zona de destino.

Circular de ônibus no México é bastante fácil e não tão caro. Há diversas empresas de ônibus que prestam serviço, e se pode chegar a todos os lugares de ônibus. Algumas empresas possuem serviço de venda de bilhetes pela internet.

Há boas estradas e mesmo autoestradas de pista dupla (quase sempre melhores que as brasileiras) e é possível fazer a locação de veículos, ainda no aeroporto.

Algumas distâncias rodoviárias a partir da Cidade do México: Acapulco: 400 km, Guadalajara: 600 km, Oaxaca: 535 km, Poza Rica: 298 km, Puebla: 130 km, Vera Cruz: 440 km.

Também podemos viajar de trem. Há ligações ferroviárias entre a Cidade do México e Oaxaca, Monterrey, Veracruz, Puebla, Guadalaraja e Uruapan. Existem trens noturnos com cabines e, para distâncias mais longas, tomar um avião pode valer a pena. A companhia aérea Aeromexico vende passes para vários destinos, que podem ser interessantes.

Gostaram?

bjs Juh Veiga

Para quem está no México:

Embaixada do Brasil no México
Calle Lope de Armendáriz, 130, Colonia Lomas Virreyes
Delegación Miguel Hidalgo, México, DF – 11.000
Tel.: +52 (55) 5201-4531Fax: +52 (55) 5520-6480
brasemb.mexico@itamaraty.gov.br
http://mexico.itamaraty.gov.br

Consulado Geral do Brasil no México
Paseo de las Palmas No. 215 – Oficina 405, Colonia Lomas de Chapultepec
Delegación Miguel Hidalgo, Ciudad de México, DF – CP.11000
Tel.: +52 (55) 4160-3953
Fax: +52 (55) 4160-3950
www.consbrasmexico.org.mx
consulado@consbrasmexico.org.mx

Fonte: http://www.visitmexico.com/pt/

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*