Microbiota Obesogênica

marcela

Considerada de etiologia múltipla, a obesidade está associada a diversos gatilhos: genético, ambiental e sociocultural.

Além dos conhecidos fatores como um estilo de vida sedentário, péssimos hábitos alimentares e exposição a substâncias tóxicas, o que se desconhece é que a obesidade também pode ser induzida por um outro fator: a microbiota obesogênica.

A microbiota intestinal consiste em microorganismos que colonizam o intestino de forma permanente (adquiridas ao nascer e no primeiro ano de vida) e os que transitam em todo trato digestório (adquiridos durante a vida através de alimentos, bebidas, entre outros). Uma determinada composição de bactérias se associada ao metabolismo endógeno pode modular o sistema imune e alterar o metabolismo lipídico. Estudos recentes têm mostrado que indivíduos obesos apresentam uma diferenciação na microbiota intestinal com uma menor concentração de bacteriodetes e maior concentração de firmicutis.

Também existem outros fatores que associam a influência da microbiota à obesidade. Alguns microorganismos indesejáveis podem não ser reconhecidos por nosso sistema imunológico, provocando assim uma resposta inflamatória e contribuindo para o aparecimento de doenças. Neste contexto, algumas bactérias podem interferir negativamente na absorção de nutrientes levando ao aumento de

 

marcela02

Investir em uma alimentação rica em alimentos prébioticos (alimentam as bactérias boas do nosso intestino) e probióticos (bactérias que ajudam a colonizar de forma saudável nosso intestino), além de consumir frutas, vegetais, alimentos integrais e se manter hidratado não são a única estratégia. Para o sucesso de um tratamento devemos levar em consideração a importância da individualidade bioquímica.

Não só a mudança dos hábitos alimentares, estilo de vida e aportes nutricionais são importantes. É preciso conhecer a fundo todos os possíveis fatores que desencadearam a obesidade e trata-los de forma diferenciada.

 

Foto de perfil de Marcella Anversa
Nutricionista, Pós Graduanda em Nutrição Clínica Funcional pela VP Consultoria Nutricional-Divisão de Ensino e Pesquisa(VP/RJ) e membro do Instituto Brasileiro de Nutrição Funcional (IBNF).

Deixe seu comentario !

Pular para a barra de ferramentas