O lugar onde a tradição e a tecnologia se encontram!!

Japão, o lugar onde a tradição e a tecnologia se encontram by Juliana Veiga

A terra do sol nascente é também onde tradições milenares e a mais alta tecnologia vivem harmoniosamente. O Japão tem muito mais a oferecer do que robôs, sushi e samurais.

JAPAO, JUH VEIGA, TALITA ALVES BLOGGER, lemondelittah 0

Tóquio é a cidade mais limpa e organizada do planeta, com a mais alta concentração de excelentes restaurantes de alto nível, que oferecem pratos italianos e franceses que não experimentaríamos em Bolonha ou Paris. Entre os passeios, estão Kamakura, com toda sua calma, a história milenar de Nikko e Tokyo Disneyland e todo o contexto do mundo Disney. Se escolhermos andar de trem-bala, podemos escolher entre a vista Monte Fuji ou dos Alpes Japoneses, perfeitos para caminhadas ou passeios de esqui.

JAPAO, JUH VEIGA, TALITA ALVES BLOGGER, lemondelittah 04

Já a região de Kansai, onde se localizam as cidades de Kioto, Osaka e Nara, é a capital cultural do Japão, com os mais espetaculares templos e palácios. É onde podemos apreciar a tradicionalíssima cerimônia do chá, a meditação budista, as gueixas e o kaiseki (banquete o japonês). Mais ao sul, chegando a Hisoshima, entendemos porque é o símbolo máximo da paz mundial e descobrimos as praias quentes, banhadas pelas águas de Okinawa.

JAPAO, JUH VEIGA, TALITA ALVES BLOGGER, lemondelittah 07

Mas, se formos para o norte, vamos nos deparar com paisagens selvagens e montanhosas. O ano todo Hokkaido seduz seus visitantes, seja com tapetes de flor de lavanda, ou com a neve dos resorts de Furano e Niseko.

Agora, quem quiser ir às compras, o Japão é o paraíso! E não falamos dos eletrônicos. Existe uma gama surreal de produtos que podemos comprar por lá. Podemos passar dias inteiros dentro das lojas de departamento. Desde papelaria a bolsas de design exclusivo e instrumentos musicais, ficamos completamente exaustos com tantas alternativas.

JAPAO, JUH VEIGA, TALITA ALVES BLOGGER, lemondelittah 08

Circulando – Hoje, não há voos diretos entre o Brasil e o Japão. As opções limitam-se a Air Canada, via Toronto e Vancouver, British Airways, via Londres, Delta, via Nova York, Emirates, via Dubai e Korean Airlines, via Los Angeles e Incheon, com boas opções de voos para várias cidades do Japão. O ideal é consultar uma agência de viagens antes de comprar as passagens.

JAPAO, JUH VEIGA, TALITA ALVES BLOGGER, lemondelittah 03jpg

As principais cidades do Japão são servidas por uma das melhores malhas ferroviária do mundo, que operam de trens locais ao famoso shinkansen (trem bala). É bom adquirir o Japan Rail Pass, que dá direito a viagens ilimitadas dentro de períodos de 7, 14 e 21 dias e pode ser adquirido online. Boa parte das estações possuem indicações em inglês. Um site interessante para programar sua viagem baseando-se nos horários dos trens é o Hyperdia.

E, para destinos mais distantes há companhias aéreas como a ANA, Japan Airlines e Skymark, que voam para de Sapporo, Haneda, Narita, Nagoya, Kansai, Fukuoka e Naha. Para cobrir longas distâncias querendo economizar, considere os serviços de trens e ônibus noturnos.

JAPAO, JUH VEIGA, TALITA ALVES BLOGGER, lemondelittah 02

O complicado por lá é achar um endereço. Nem todas as ruas têm nome, só as grandes avenidas que têm. Um exemplo: o endereço do restaurante Hatanaka de Tóquio é 2-21-10 Azabu Juban, Minato-ku. Isso significa que ele fica na zona Minato, no bairro Azabu Juban, na casa 10, do quarteirão 21, do quadrilátero 2.  Para achar um estabelecimento é indispensável um bom mapa ou serviço de GPS, pedir ajudar aos pedestres ou ao pessoal do hotel.

JAPAO, JUH VEIGA, TALITA ALVES BLOGGER, lemondelittah 01

A alternativa mais óbvia e conveniente é se hospedar em bons e confortáveis hotéis de redes internacionais, com staff fluente em idiomas estrangeiros (principalmente o inglês). Muitos deles, próximos à estações ferroviárias.

Mas, se quiser uma experiência diferente, considere passar pelo menos uma noite em um requintado e tradicionalíssimo ryokan. Os melhores servem banquetes tradicionais no café da manhã e no jantar e os hóspedes dormem usando quimonos de algodão. As diárias custam mais do que a média, mas vale a pena.

Quem tem algum conhecimento do idioma, pode ficar em minshukus, hospedagens familiares, e se envolver em uma atmosfera mais informal e se aproximar mais do cotidiano local. Albergues da juventude também são uma boa opção. São bem equipados e baratos, para jovens, mochileiros e grupos.

Boa parte dos hotéis japoneses oferecem café da manhã oriental, uma farta mesa com arroz, legumes, sopa, peixe grelhado e ovos. E nada de café ou pãezinhos à vista. Informe-se com antecedência.

Quando ir – O inverno é legal para esquiar e visitar os spas de águas termais. Uma experiência incrível de se hospedar no Japão, com refeições elaboradas, banhos relaxantes e quartos bem decorados.

Entre o fim de março e o começo de maio é a época da floração das cerejeiras. Há muitas festas nas ruas, com executivos e estudantes lotando os parques para fazer piqueniques depois do expediente.

Já o verão costuma ser muito quente e chove bastante. Em termos de clima, é meio ruim, mas é nesta época que os principais festivais do país ocorrem, como o Gion Matsuri (Kyoto), Nebuta (Aomori), Grande Festival de Fogos de Nagaoka (Niigata), Hakata Gion Yamakasa (Fukuoka) e Kanto Matsuri (Akita). As escaladas ao Monte Fuji e nos Alpes Japoneses também estão bastante concorridas nestes meses.

E, o outono é muito agradável, quando bosques e jardins ganham tons de vermelho, amarelo e laranja. Alguns dos melhores locais para apreciar a paisagem do período são templos, castelos e parques em Kanazawa, Kyoto, Nikko, Takayama e nas províncias de Nagano, Yamagata, Fukushima e Miyagi.

Dicas de viagem: Nunca podemos ficar menos de dez dias. Cinco dias são suficientes para conhecer as redondezas de Tóquio, Nikko e Kamakura.

Kyoto, sua cultura milenar templos são muito bem apreciados em três dias, com direito a passeios ímpares por Nara e Osaka. Não podemos deixar de visitar o castelo de Himeji e a cidade de Hiroshima, é claro.

Outro lugar que vale a pena conhecer é Takayama, simplesmente pitoresca e, no inverno, a ilha de Hokkaido e os Alpes Japoneses, com as melhores pistas de esqui.

Obrigatório:

  • Hospedar-se em um ryokan e dormir em um futon sobre esteiras tatami;
  • Tomar banho numa piscina térmica de um spa ou onsen;
  • Provar: sushi em Tóquio, lamen em Sapporo ou Fukuoka, enguia em Shizuoka, okonomiyaki em Hiroshima ou Osaka, sobá em Okinawa e Nagano e o banquete kaiseki em Kyoto;
  • Assistir a uma peça de teatro kabuki ou um dia de lutas de sumô;
  • Ver o Monte Fuji, mesmo quando está sem neve, no verão;
  • Conhecer as cidades históricas de Takayama, Nikko, Kamakura e Kanazawa.

 Mais informações em: http://www.japaoinfotur.org e http://www.sp.br.emb-japan.go.jp

Bjos

Juh!!

Foto de perfil de Talita Alves
Jornalista, pós-graduada em Gestão Estratégica de Negócios. Estudou na escola Wimbledon School em Londres.

Deixe seu comentario !

Pular para a barra de ferramentas